Fotografando como profissional usando um celular!

Quem não tem um smartphone hoje em dia, não é mesmo. Estima-se que cerca de 95% dos brasileiros possuem ao menos um aparelho, mas será que todos eles tiram o máximo que esses gadgets oferecem? Nesse post, vamos restringir nossa visão apenas a câmera do aparelho, afinal, são dicas de fotografia.

Antes de responder a pergunta acima, vejamos essa outra. Será que as pessoas sabem mesmo como utilizar a câmera de seus aparelhos? Sim, com certeza! Fazer um foto é bastante simples, basta pressionar um botão e bum, fotografei, no entanto, respondendo a pergunta anterior, uma minoria das pessoas produz fotos realmente boas, no âmbito técnico, com o celular. Afinal, todo mundo tem aquela tia que cega todo mundo com o flash e a foto ainda fica com uma mancha branca horrível bem no cento. [kkkk]

Por que no âmbito técnico? Porque o que para um visão técnica é um fotografia péssima, para o artista, o erro técnico foi totalmente proposital para passar a mensagem por ele, o artista, almejada. Vou preparar outro post para falar um pouco sobre fotografia artística.

Precisei dividir esse post em duas partes, pois ficaria muito extenso e atrapalharia a leitura, então, nessa primeira parte trabalharei conceitos de iluminação e no próximo vou trabalhar questões de enquadramento e um conceito de direção de arte.

O obturador

O obturador é a parte mais importante de qualquer câmera, ele quem de fato “fotografa”. Ele é quem controla a quantidade de luz que entrará na câmera no momento de fazer a foto. Nas câmeras profissionais e semi profissionais é possível controlar a velocidade e a abertura do obturador, porém nas câmeras de celulares ainda não é possível fazer, é acho pouco provável que isso mude à curto prazo.fotografia

(foto por Carlos Medina / Blog “Fotografiando vida”)

Geralmente a abertura padrão para câmeras de smartphone é a ƒ 2.2, que é bastante aberto e entra bastante luz. Leia essa parte com calma, para não dar um nó no cérebro. A abertura do obturador e determinado por “ƒ”, quanto menor esse valor, mais aberto o obturador e quanto maior o valor, mais fechado o obturador. Até onde meu conhecimento vai, o menos valor é o ƒ 2.2. Quanto a velocidade do obturador, nos celulares só temos a velocidade padrão, usada para capturar fotos estáticas. Umas das vantagens de controlar a velocidade do obturador é a possibilidade de fazer fotos com movimento, como essa abaixo.

Se nesse momento você está com um nó na caxola, fique calmo. Essas informações são apenas para dar uma noção dos recursos das câmeras profissionais e quais deles podemos encontrar nas câmeras de celulares.

Eu quero luz!

Para fazer um boa fotografia é bem obvio que precismos de luz. Sempre que possível, opte por fazer fotos utilizando a luz do sol, mas cuidado, como o obturador é muito aberto, não exagere na luz ou o resultado será uma foto parecida com essa.fotografia

(Foto por Blog Falando de Foto)

Tente posicionar sempre a câmera na frente do sol, fazendo com que o sol fique atrás de quem está fotografando e não de quem o o que está sendo fotografado. Deu nó na caxola denovo? Acho que assim fica mais simples, não fotografe o sol, [kkkkk] a não ser que o único ângulo possível seja com o sol de frente pra lente.

Nesse caso, há outra solução chamada HDR, que já está vindo nos celulares há um bom tempo. No momento da foto, o HDR faz múltiplas fotos em diferentes exposições à luz e depois une-as, equilibrando a exposição, no entanto, nem sempre se obtém o resultado desejado e o HDR não deve ser usado em todos os casos. Configurar o balanço de branco também pode ajudar, e não há mistério quanto a isso. Para quem não sabe, o balanço de branco são aquela configurações (Ensolarado, Florescente…) que todo mundo acha que não serve pra nada e deixa no automático. [kkkk]

Mas e a noite?

Brother, fotografia noturna é o calcanhar de aquiles das câmeras dos celulares, são poucos que se saem bem nessa tarefa. Em câmeras profissionais há um recurso chamado ISO, esse recurso torna o obturador mais sensível à luz, porém, quanto maior for o valor do ISO usado, maior é o risco da foto sair com ruído, estragando à completamente.fotografia

(Foto por Digital Trends)

No entanto, o ISO com valor baixo ajuda bastante, até em fotografias diurnas, e quando usado com cautela, é uma mão na roda para fotos noturnas. Não queria dar a má notícia, mas o único smartphones que eu vi com esse recurso nativo foram os celulares da marca chinesa Xiaomi. No entanto, acredito que tops de linhas atuais devem contar com esse recurso também, então, entra no app da câmera e procura o ISO e deixa nos comentários se você encontrou e em qual aparelho. Em fotos noturnas o HDR também pode ajudar, mas com eu já disse antes, nem sempre esses recursos trazem resultados satisfatórios.

Se a foto não sair perfeita na primeira tentativa, não se desespere, acontece mais do que se imagina, principalmente em foto feitas à noite. Vá mudando as configurações, aumentando o ISO, mas não muito, usando o HDR, configurando o balanço que tudo vai dar certo.

E o flash, serve?

Como eu brinquei no começo do post, o flash como vilão da fotografia. Confesso que nem me arrisco a usar o flash em fotos noturnas. O flash dos celulares tem uma luz muito dura e não é possível controlar sua velocidade ou intensidade como nas câmeras profissionais, então, cuidado com ele.

Não sou muito fã de flash, mas se ele está aí há uma razão. Geralmente usa-se bastante o flash para fotografias internas, seja em studio ou não, onde há luz, mas não o suficiente, assim o flash torna-se um complemento. Porém, se o flash for usado diretamente contra um ponto de luz forte, a foto ficará manchada. Não entendo muito do uso do flash e vou ficar devendo uma explicação melhor para vocês, vou trazer isso na parte dois desse post.

Lembrando gente, não sou fotógrafo profissional, sou apenas um entusiasta e gosto de fazer boas fotos e estou passando alguns truques que uso para tirar o máximo de proveito da câmera do meu celular. Bom, por hoje foi isso é até a próxima!


Também tem um truque de fotografia que eu não mencionei? Conta pra gente ai nós comentários! Todo conhecimento e experiências são bem vindos.

Freelancer: Pague suas contas trabalhando em casa!

Todas as pessoas que vivem somente de “freela” sabem o sufoco que é fechar as contas do mês. É ótimo trabalhar no conforto de casa, com o tempo que quiser, mas para ter tudo isso sempre tem um pequeno risco envolvido. Até os profissionais freelancer de destaque no mercado já passaram em algum momento por sufoco gigante, as contas chegando para pagar e a carteira vazia.

freelancer

Para sobreviver nesse mundo, primeiro, é preciso ser notado e a redes sociais estão ai para nossa alegria, e a segunda e buscar sites para freelancers. Neles é os clientes postam o JOBs e quanto ele estão dispostos a pagar por ele. Caso se interesse pelo projeto, basta criar sua proposta e enviar para o cliente dentro do prazo e aguardar a resposta. A seguir listei alguns populares entre designers freelancers.

Comunica Geral – oferece oportunidade para freelancer, programador, web designer, profissionais de comunicação, marketing, design gráfico, internet e tecnologia.

Prolancer – oportunidades nas áreas de design e criação, fotografia e audiovisual, publicidade e marketing, redação e conteúdo e web e desenvolvimento.

99designs – oportunidades para designer de marca, ilustradores, design front-end e back-end, design editorial e outras áreas do design gráfico e publicidade.

Freelance Web Designer – oportunidade para profissionais da área do web design.

Tem alguma outra dica? Legal! Deixa nos comentários abaixo. Espero ter ajudado com esse dicas, até a próxima.

Café, sabemos tudo por trás dele?

O café é algo que está atrelado ao dia-a-dia da maioria da galera que trabalha com criatividade, especialmente a publicitários. A coisa mais comum que existe em agências de propaganda são as amadas canecas e xícaras. Outro dia, peguei me questionando como surgiu está relação entre os criativos e o café. Depois de algumas pesquisas, acabei não achando o que realmente procurava, mas encontrei uns fatos bem interessantes sobre a cafeína.

Como a cafeína atua no nosso cérebro?

Diferente do que acreditamos, o café não aumenta a criatividade, muito pelo contrário, ele inibe a criatividade. Muitas pesquisas validam a afirmação anterior, veja porque. Quando nosso cérebro está em atividade, nossos neurônios produzem uma bio substância chamada adenosina. Quando a concentração da adenosina no corpo está alta, os receptores de adenosina avisa nosso corpo está cansado e precisa de uma pausa.cafe

Imagem/ Cortesia Reserva Gourmet

Porém, quando tomamos café, a cafeína vai para o cérebro e atua bloqueando a atuação adenosina, impedindo que nosso corpo seja avisado que precisa de um “break. Além disso, ela também libera uma alta quantidade de adrenalina, por isso o aumenta da energia, impedindo que fiquemos sonolentos. Por isso pessoas, depois de tomar aquela bela xícara de café nós sentimos cheios de energia e com maior concentração, assim, temos a falsa impressão de que nossa criatividade aumenta, mas não se engane, certo.

Será a cafeína uma vilã?

Então, essa é uma questão complicada. Acredito, junto com diversas pessoas, que insights criativos e inovadores surgem quando não estamos pensando neles, literalmente do nada, quando nossa mente está vagando por aí. A cafeína nos priva dessa viagem sem rumo nós mantendo focados em um único ponto.

Um fato bastante interessante do metabolismo humano é que ele criar tolerância ao consumir frequentemente a mesma droga. Portanto, o consumo frequente da cafeína faz com que o corpo crie uma tolerância a substância, necessitando de uma dose maior para ativar os efeitos da droga. Então, afirmo com total segurança que tomar aquele bela xícara de café antes do trabalho não vai prejudicar seu potencial criativo.

 

Eu vou ficando por aqui, aproveita ai e comenta se o café é essencial na tua rotina, se não toma ou não gosta, compartilha com a gente!

UX Design: Saiba como funcionam as microinterações!

Despertei recentemente uma gigantesca curiosidade acerca do design de interação e da experiência de usuário – UX – e o modo como ela está vinculada ao novos padrões de interação, que são os meios digitais. Não sou um expert eu UI, mas gosto muito da área, sendo ela uma das minhas opções de especialização como designer gráfico.

Bom, não estamos aqui pra falar da minha vida, não é mesmo? Vamos continuar nosso bate papo sobre o design de interação. Vou trabalhar o tema em cima das interfaces digitais, porque tenho mais domínio, mas o design de interação pode ser aplicado sob as mais variadas perspectivas.

Falando de microinterações, toda vez que mudamos uma configuração do seu telefone, sincronizamos nossos arquivos na nuvem ou damos aquele amei nas postagens do limão no facebook, estamos realizando microinterações. Elas estão por toda parte, seja no nosso computador enquanto checamos os email ou na cozinha enquanto usamos a cafeteira, enfim, em toda parte.UX-Design

reprodução/creative clound blog

Onde as microinterações são mais facilmente percebidas são nas redes sociais, um caso bem interessante de microinteração são as opções de likes variados no facebook, que no halloween fez uma brincadeira bem interessante com eles, agrando bastante a comunidade, e é desse modo que a redes socias nos “pegam” rsrs

Entendendo o processo

A microinteração segue 4 etapas afim de garantir a sua eficácia, são elas : Trigger, rules, feedback, loops and modes.UX Design

reprodução/creative clound blog

Trigger: A espoleta da microinteração, podendo ser uma ação de clicar num botão ou um system, que é ativado quando determinadas condições se juntam. Vou usar como exemplo a função like do facebook, se o usuário apenas clicar no botão, será uma interação, porém se o usuário manter o cursor posicionado sobre o botão por alguns segundos, será oferecida uma outra forma de interação, porém para ativar esse outro método de interação foi imposta a condição manter o cursor posicionado sobre o botão por alguns segundos.

Rules: Determinam o que pode ou não nas sequências dos eventos da microinteração. Usando novamente a função like do FB como exemplo, supondo que o usuário optou por clicar e segurar o botão, são oferecidos além da opção de like comum, algumas outras interaçõe, no entanto só é permitido escolher uma, está é a regra desta microinteração.

Feedback: O modo como o usuário entende o a interação realizada, já que as regras são implícitas. Usando novamente como exemplo a rede do tio Zuck, o usuário sabe que só é possível escolher uma daquelas opções por publicação, mesmo que em nenhum espaço da interface tenha informações sobre isso.

Loop and Modes: Etapa final da interação. Os loops indicam se haverá uma repetição da interação ou até seu prolongamento. Já os modes são usandos quando há a necessidade de uma interrupção crítica, como por exemplo, você amigo leitor que acabou de conhecer o Limão e está indo correndo para curtir nossa página, mas ao clicar no botão “Curtir”, é pedido para efetuar o login.

UI não são árvores de natal

Não encha sua interface com milhares de elementos piscando  ou respondendo a interações por toda parte. Pare, pense e procure entender o que o usuário faz antes, durante e depois de usar o produto do seu cliente, ou seu próprio produto. Compreender as emoções relacionadas ao que se está oferecendo ao público é muito importante.

Cuidado também com o excesso de microinterações animadas, essa são bem bacanas, mas em demasia pode comprometer a experiência positiva do usuário, então fique ligado nisso.

 

O UX é uma área de estudo extraordinária que ainda tenho muito o que conhecer e aprender. Compartilha com a gente se já teve contato com o UX, se curte ou até atua como UX designer. Os comentários estão logo abaixo, corre lá!

O que é essa tal de experiência do usuário que tanto se fala por ai?

Com toda certeza os termos UI e UX não lhe soam como estranhos, tanto profissionais de design quanto pessoas de outras áreas do conhecimento se deparam com eles.  Mas qual a relação e significado disso tudo? Calma que vamos por partes, não vamos tomar essa limonada num gole só rsrs

Essas siglas vem do ingês, UI quer dizer “User interface” ou Interface de usuário, e justamente como o nome sugere, diz respeito a interface na qual o usuário irá interagir, seja ela um site, rede social, software ou aplicativo, a interface de usuário está lá e se resume a tudo que podemos ver e interagir. Já o UX “User xperience” ou experiência do usuário diz respeito a tudo que envolve a experiência de uso de um produto ou serviço.experiencia-do-usuario-UX

O UX engloba muita mais competências em relação ao UI, contundo ambos coexistem simultaneamente em um mesmo projeto. O UX envolve toda a parte sensível da relação com o consumidor, sendo de grande importância no processo de posicipnamento de marcas no mercado.

Mas o que é essa tal de experiência de usuário?

Diferente da interface do usuário, a experiência desse usuário é totalmente subjetiva. Ou seja, todo o contato direto e indireto do usuário com um produto ou até mesmo uma marca acumulam a experiência do usuário.

Geralmente que trabalha com a experiência do usuário são os designers de interação, sendo responsabilidade deles definir sistemáticas e processos que maximizem a experiência do usuário, geralmente com produtos. Um bom exemplo e também simples exemplo do vem a ser essa experiência é o serviço de suporte ao cliente, apesar de parecer insignificante, um bom suporte pode trazer um excelente retorno a longo prazo, pois acredite, comentários negativos se multiplicam mais rápido que coelhos e não é interessante para nenhuma empresa ter uma visão negativa ligada diretamente a ela.

Acho que entendi, mas quero saber mais!

Então, o exemplo do suporte que eu falei já é usado a bastante tempo e a depender do segmento, nem chega a ser mais um diferencial. Atualmente a experiência do usuário é aplicada a todo o canal de comunicação da marca. Desde o website até os aplicativos são pensados de acordo com o público-alvo.

Caso você não saiba, não é porque uma pessoa sabe como usar um computador que ela será expert. Vamos usar um aplicativo como exemplo, se o seu público-alvo for a comunidade em geral, mas as funções do aplicativo não ficam devidamente expostas, a probabilidade de que mais da metade dos usuários tenha complicações na utilização é bem grande, isso afeta negativamente a experiência desses usuários.

E como eu vou saber se meu projeto está adequado ao público?

Apenas duas palavras: PESQUISA e EXPERIMENTAÇÃO. O primeiro passo de todo e qualquer projeto é conhecer o cliente e também conhecer minuciosamente seu público. Quanto mais minucioso, melhor. Se for um produto inédito, saiba ao qual público esse produto se destina, estude as melhores maneiras de abordagem, as necessidades, se possível, estude gostos estéticos também. Caso se trate de um aplicativo, site ou interface digital o procedimento é o mesmo. Estude o nível de habilidade, destaque as funções principais, algo não essencial pode ficar em segundo plano. Tente sempre se colocar no lugar do usuário final, vai ajudar bastante no processo

A seguir vem a etapa da experimentação, mas não estou falando dos BETAS não, mas sim de como o público vai reagir diante do produto\serviço oferecido. Esteja sempre aberto ao feedbacks dos usuários, disponibilize sempre uma ferramenta direta de feedback. Nada será 100% perfeito, mas a probabilidade de ser eficiente para a maior parte dos usuários será maximizada com a ajuda dos feedbacks dos usuários.

Esse post é apenas um apanhado superficial sobre o design de interação, apenas uma pequena parte de tudo o que ele pode oferecer. Se viu algo errado ou incompleto, considere-se intimado a deixar seu feedback nos comentários e ajudar a adoçar essa limonada. E se você é designer de interação, comente seu ponto de vista sobre essa área fascinante do design.

Pokémon Go: A segunda geração cada vez mais perto!

Nesse últimos dias, estava eu navegando pela internet buscando novidades sobre nosso amado Pokémon GO, e foi no fórum do reddit que achei informações que me deixaram super entusiasmado com o futuro do jogo.

Apesar de já sabermos que na segunda geração, obviamente, viriam novos pokémons, a Niantic ainda vai adicionar outras mêcanicas bem legais ao seu game. Mesmo sendo algo extra oficial, estou dando um certo crédito já que foi nesse mesmo fórum que vazaram as primeiras informações sobre Pokémon GO como temos hoje.

Devo enfatizar que não houve comunicado oficial da Niantic sobre o conteúdo dessa matéria, mas está bem além das especulações que rolam pela rede e vou mostrarei o porque a seguir. Sem mais enrolações, vamos ao que interessa, né?

Criador de Pokémons eu sou!

Agora além de treinador pokémon, poderemos ser criadores pokémon. Com essa nova mecânica, os pokémons receberão um gênero, macho ou fêmea. Quando dois pokémons adultos da mesma espécie, mas de gêneros diferentes “se gostam”, eles podem gerar um ovo da mesma espécie.

Será inserida uma nova maneira de se conseguir candies desse pokémon, assim não teremos que passar horas capturando pokémons da mesma espécie para poder evoluir ou dar power ups.pokémon go-daycare

Após esses pokémons formarem um casal, será inserida uma nova aba ao lado da aba dos ovos chamada “Day Care”. Assim, de acordo com um quilometragem percorrida (ainda não especificada), teremos a chance de receber um ovo dessa espécie. Os ovos recebidos por esse método tem um cor diferente (laranja) como é possível ver na imagem acima.

Preparem as mamadeiras!

Como já foi especulado em vários sites, os bebês pokémons chegarão juntos com a segunda geração de pokémon GO. Mas será preciso cumprir alguns requisitos para ter acesso a eles no jogo. Será necessários que já tenha capturado pelo menos 50 pokémons distintos e visto 100 para assim desbloquear a nova pokedex, aumentando o número de pokémons para 251 para habilitar os pokémons bebês.pokémon go-babys

Contudo, apesar de habilitados os pokémons da segunda geração, ainda não será possível captura-los no mundo. Somente os pokémons bebês poderão sair dos pokeeggs, que provavelmente serão conseguidos da mesma maneira que os demais, nas pokestops. O ovo dos pokémons bebês tem coloração diferente, confira na imagem acima. Para liberar totalmente a segunda geração será necessário passar por mais algumas etapas, confira!

Está evoluindo?!

As novas evoluções de alguns pokémons da primeira geração é algo muito esperado pelos mestre pokémon. Não preciso nem comentar quais são, nossos mestre pokémons de plantão já conhecem todas, né?

Mas não será tão simples como parece! Para ter acesso as novas evoluções, primeiro será necessário desbloquear a nova pokedex e obter ao menos um pokémon bebê nos pokeeggs. Só depois disso estarão disponíveis as novas evoluções. pokémon go-evolutions

A novidade, que pode não ser muito boa, é que além dos candies, serão necessários outros ítens, ainda não especificados, para poder evoluir seu pokémon. Esses tais ítens poderão ser coletados em pokestops ou comprados. É, se já era chato ter que conseguir os candies, agora então!!

Start Again?!

Por último, mas não menos importante, a segunda geração trará novos pokémons também, claro! Depois que passaste pelas etapas anteriores, o prof.: Willow entrará em contato para que seja escolhido o pokémon starter da segunda geração, que é o Cyndaquil, Chicorita e Totodille.

Somente depois de todo esse esforço os pokémons da segunda geração estarão disponíveis para serem capturados por ai.

Finalmente o ditto

É, parece que finalmente o ditto ficará disponível para nós mortais rsrs. Não foi especificado se o ditto poderá ser encontrado no mundo ou de algum modo especial, mas aparentemente ele virá nessa atualização. A parte que fala sobre o ditto estava junto ao conteúdo dos bebês pokémons, então pode ser que ele saia dos ovos dos bebês pokémons, vamos esperar para ver, né.pokémon go-ditto

(Imagem \ reprodução)

Para que se animou para usar ele em batalha, melhor acalmar os ânimos, pois foi anunciado que o ditto não poderá ser usado em combate, ele servirá apenas para completar sua pokedex e se exibir para seus amigos que não o tem rsrs. Segundo as informações, o ditto também servirá para cruzar com pokémons de gênero único como Jynx, Hitmonchan e Hitmonlee.

Será isso uma grande lorota?

A fonte é bastante segura, pois como eu disse, foi o mesmo fórum que vazou informações sobre a primeira geração de pokémon GO. O ruim é que apesar de todas informações, não há nenhuma data confirmada para inserção da segunda geração, apenas especulações.

Apesar de conter bastante informação, não ha nenhuma informação sobre o sistema de batalhas entre treinadores e trocas entre jogadores. Há rumores de que esses sistemas chegarão ao game antes da segunda geração, será? Comenta ai!

Aproveita, comenta também qual seu pokémon favorito da segunda geração e se curtiu as possíveis novidades!

fonte: Reddit

Google Maps embarca na aventura pokémon!

Mesmo com Pokémon Go perdendo um pouco da sua força, o jogo fruto da parceria entre a Pokémon Company e a Niantic foi o suficiente para que o Google Maps encorporasse ao seu aplicativo uma função dedicada aos treinadores pokémon. Ao que parece, a função serve para indicar quando o usuário está jogando Pokémon GO.

Para ativar o recurso, basta ir na timeline do Google Maps, será necessário ativa-lá caso nunca tenha usado antes, depois é só abrir os detalhes e escolhe a opção “catching pokémon”. Pronto, pode iniciar sua caçada pokémon.pokémon

Até então o recurso serve apenas para registrar por onde você passou durante sua jornada e nada mais. Mas é bom para lembrar onde que você pegou aquele Ditto por ai, ou onde tem aquele ninho de dratini né.

Mas não está aparecendo no meu Google Maps

Então, até o momento dessa postagem essa função ainda não está presente na versão do Google Maps do Brasil. Também não há confirmação por parte da Google de quando vai chegar por aqui ou se vai chegar por aqui. Então, só resta esperar garotada!

 

Fonte: Android Police, The Next Web

No Mario’s Sky leva nosso encanador favorito ao espaço!

No Man’s Sky é uma game recente e também muito popular ao redor do globo, a jogatina consiste em explorar o universo, descobrir novas espécies animais e vegetais, além de muitas outras coisas. O Super Mario Bros é o clássico jogo de plataforma da Nintendo, não preciso nem dar maiores explicações, né? rsrs

Como será que ficaria seria o filho do casamento desse dois jogos? Uma equipe de quatro Australianos irão nos responder. Apenas 72h foram o suficiente para os caras desenvolverem um mash-up de Super Mário Bros e No Man’s Sky.

No Mario’s Sky coloca os jogadores em um mundo 1-1 escolhido de forma aleatória, e depois permite que eles embarquem numa nave espacial para encontrar níveis circulares. Todos os planetas tem espécies diferentes de goombas, atmosferas, efeitos de gravidade, etc.No-Mario's-Sky

A Nintendo já sabe disso?

Então, a essa altura do campeonato, com certeza já deve ter chegado aos ouvidos da empresa. A Nintendo é famosa por proteger suas propriedade com unhas e dentes e não deve demorar muito para tirarem a página de download do ar. Por isso corre para baixar e jogar No Mario’s Sky. Disponível para Windows, Mac e Linux.